affiche_lumiere2

Tal como a psicanálise (Estudos sobre a histeria, 1895), o cinema tem 120 anos. Por ocasião de seu aniversário, houve, no Grand Palais em Paris, de março a junho de 2015, uma exposição denominada Lumière: le cinéma inventé. Esta exposição, vinculada tanto à personalidade dos irmãos Lumière quanto às suas múltiplas invenções no domínio da fotografia e do cinema, permitiu reexaminar o conjunto dos seus filmes, dispostos sobre uma imensa parede digital.

 

Da imagem fotográfica ao cinema: a introdução do movimento

 

Antes da fotografia, era a pintura que tinha por papel a representação da realidade. Há 36.000 anos, o Homo sapiens já desenhava os seus afrescos em cavernas, a exemplo da caverna Chauvet, em Ardèche, cuja réplica foi inaugurada em abril de 2015[1].

No início do século XIX, a invenção da fotografia, reivindicada por Niepce, Daguerre e Fox, assim como por muitos outros, transformaria a representação do mundo e das pessoas. Décadas mais tarde, os lioneses Louis e Auguste Lumière, que ficariam conhecidos como Irmãos Lumière[2], seriam os primeiros industriais e também inventores no domínio da fotografia. Seus dois nomes permaneceriam sempre ligados: eles se prometeram não se deixar jamais e, por isso, casaram-se com duas irmãs. Durante suas vidas, registraram juntos 170 patentes.Contrariamente a uma ideia muito propagada, os Irmãos Lumière não realizaram os primeiros filmes existentes, mas, sim, o americano Thomas Edison, inventor do gramofone, que os realizara graças ao seu Kinétographe a partir de 1891. Porém, seus filmes podiam ser vistos apenas por um espectador por vez. Louis Lumière, o inventor genial, fez uma síntese das invenções que preexistiam e desenvolveu um mecanismo engenhoso inspirado no movimento da máquina de costura de sua mãe, que permitia tanto filmar quanto projetar os filmes para um conjunto de espectadores. O primeiro filme rodado por Louis Lumière é Sortie d’usine, mais conhecido hoje sob o nome de La sortie des Usines Lumière[3]. Ele foi rodado em 19 de março de 1895, em Lyon, na rua Saint-Victor, atualmente nomeada de rua do Primeiro-Filme.

A primeira representação privada do Cinematógrafo Lumière teve lugar em Paris, em 22 de março de1895, nas instalações da Sociedade de Incentivo à Indústria Nacional. Em seguida, Louis Lumière rodou, durante o verão de 1895, o famoso Jardinier, que, mais tarde, seria chamado de L’arroseur arrosé. Este é, segundo alguns, o filme mais famoso dos Lumière e a primeira das ficções fotográficas animadas. Os Irmãos Lumière também criaram o dispositivo da sala de projeção, e a primeira projeção pública e pagante teve lugar em 28 de dezembro de 1895, no Salão Indiano do Grand Café, no Hotel Scribe, em Paris, diante de 33 espectadores [4].

A partir de 1896, os operadores de câmera da empresa dos Lumière, em geral, pessoas jovens originárias de todos os meios, foram enviados ao mundo inteiro para filmar, ou seja ,“para trazerem o mundo ao mundo”. Ao todo, 1.422 filmes foram rodados em dez anos, mostrando a vida como nunca tinha sido vista. Eram geralmente filmes curtos (de 55 a 58 segundos de duração), apresentando cenas da vida diária, frequentemente humorísticas. Estes operadores acabaram por inventar os travellings (equipamentos qu permitiam a tomada de imagens vistas do alto), e colocaram as suas câmaras em barcaças ou trens. O close-up, o quadro e o movimento em suspense em uma só palavra: a encenação. Estes filmes são alegres, e veem-se seus protagonistas deliciarem-se por estarem sendo filmados. Gostaria também de citar os títulos de alguns filmes não menos conhecidos: L’arrivée d’un train en gare de la Ciotat, La fumerie d’opium, La baignade des chevaux à Mexico, Le village de Namo, Les Krémo, La danse serpentine avec Loïs Fuller.

Estes filmes eram impressos em longas fitas de películas em celuloide de 35mm de amplitude, e projetados na velocidade de 24 imagens por segundo. Posteriormente, os Irmãos Lumière retornaram à imagem fotográfica, inventando as primeiras fotografias em cores, ou autocromos[5].

Eles são também, para alguns pesquisadores, os inventores do cinema 3D.

A partir de 1935, Louis Lumière apresentou à Academia das Ciências da França a sua invenção que permitia ver imagens em relevo, graças a óculos que uniam a cor vermelha e a azul.

 

Da imagem de prata à imagem digital

 

Há cerca de vinte anos, a passagem do filme em película de prata para a imagem digital definitivamente transformou as maneiras de se rodar e projetar uma história. A película desapareceu em benefício da imagem digital. A era digital operou uma mudança na natureza da imagem capturada e da imagem projetada. A internet, o vídeo, as redes sociais são utilizados por milhões de pessoas para os mais diversos fins, dentre eles, o uso pessoal: por exemplo, para se fazer parte de um acontecimento ou para ser seguido por seus contatos em uma viagem, costuma-se postar fotografias sem legendas. Mostrar, ver e ser visto, eis a questão. Não há mais necessidade das palavras. Estamos todos sob o jugo do Império das Imagens, até da mais horrível delas, quando os terroristas jihadistas publicam, na internet, os vídeos dos assassinatos que cometem.
Conclusão
Odesaparecimentodo filme tradicional não provocouodesaparecimentodocinema.O cinema digital écapazde oferecerresultadosincríveis,no domíniodosefeitosespeciaissonoros. E um pequenodisco rígido é mais fácilde ser transportado doquevários carretéis defilmes.Da mesma maneira queoseditoreslutam hoje pelaperenidadedolivro em papel,certoscineastasfazemo mesmoparaconservarousodaspelículas.Certamente, aquela parede com os 1.422filmesdosIrmãosLumière sófoi possívelgraçasà era digital.Masos especialistas dizemqueoúnicomeio de se preservar asimagens digitais étransformando-as em películas.Também ospsicanalistasdevem saber estar diante desteimpériodeimagensvampirescas,econtinuara reinventarefazerexistirapsicanálise no século XXI.

 

Tradução do francês: Zelma Galesi
Revisão em português: Adriano Messias

[1] Grotte Chauvet-Pont d’Arc – Ardèche. Cf.:archeologie.culture.fr/chauvet/fr

[2] Sobre Auguste e Louis Lumière cf. : https://fr.wikipedia.org/wiki/Auguste_et_Louis_Lumière

[3] La sortie de l’usine Lumière à Lyon (Irmãos Lumière, 1895):

[4] Primeira projeção de filmes dos Irmãos Lumière.

▶ 8:20

Cf.: www.youtube.com/watch?v=LubYjGDNun8

[5] Cf. Os autocromos no seguinte site: www.autochromes.culture.fr/