Encontros Anteriores

enapol001

1º ENCONTRO AMERICANO DO CAMPO FREUDIANO
(XIII ENCONTRO INTERNACIONAL DO CAMPO FREUDIANO)

OS USOS DA PSICANÁLISE

O I Encontro Americano do Campo Freudiano e XIII Encontro Internacional do Campo Freudiano (I ENAPOL) foi realizado nos dias 19, 20 e 21 de setembro de 2003 no Centro Cultural General San Martín, em Buenos Aires, Argentina, sob a direção das três Escolas da Associação Mundial de Psicanálise (AMP) na América: NEL (Nova Escola Lacaniana), EBP (Escola Brasileira de Psicanálise) e EOL (Escola da Orientação Lacaniana), sendo sua direção executiva composta por Angelina Harari (EBP), María Hortensia Cárdenas (NEL) e Flory Kruger (EOL). Com a presença de mais de 800 participantes, o encontro teve como tema “Os usos da Psicanálise”, a partir do qual discutiu-se diversas facetas da Psicanálise Aplicada. Foram realizadas noites preparatórias na Argentina e no Brasil, onde se discutiram questões pertinentes ao tema, além dos diversos trabalhos apresentados em 4 conversações clínicas e 10 plenárias durante o evento. Estes trabalhos foram construídos a partir de temas definidos: “psicanálise e corpo”, “psicanálise e psiquiatria”, “o porvir dos laços sociais” e “a arte do diagnóstico”. Ainda como contribuição deste Encontro, destaca-se a publicação dos livros: “Os Usos da Psicanálise: Primeiro Encontro Americano” (Cárdenas MH; Kruger F; Harari A (org.), R.J., Ed. Contra Capa, 2003) e “Pertinências da Psicanálise Aplicada: trabalhos da Escola da Causa Freudiana” (R.J., Forense Universitária, 2007).

enapol002

2º ENCONTRO AMERICANO DO CAMPO FREUDIANO
(XIV ENCONTRO INTERNACIONAL DO CAMPO FREUDIANO)

OS RESULTADOS TERAPÊUTICOS DA PSICANÁLISE – NOVAS FORMAS DE TRANSFERÊNCIA

Nos dias 5, 6 e 7 de agosto de 2005 aconteceu o II Encontro Americano do Campo Freudiano e XIV Encontro Internacional do Campo Freudiano (II ENAPOL), também realizado no Centro Cultural General San Martín, em Buenos Aires, Argentina. Sob a direção de Silvia Baudini (EOL), Heloísa Caldas (EBP) e María Hortensia Cárdenas (NEL), o II Enapol teve mais de 900 participantes envolvidos. Com o tema “Os resultados terapêuticos da Psicanálise: novas formas de transferência”, interrogou-se os resultados terapêuticos da psicanálise de orientação lacaniana e indagando as novas formas de transferência com que os analistas se confrontam. Seguiu-se cinco eixos temáticos para a construção dos trabalhos: 1. Os resultados terapêuticos nos sintomas atuais; 2. A que chamamos resultados terapêuticos nas psicoses; 3. Novas formas da transferência; 4. Os fundamentos epistemológicos; 5. Os dispositivos não sanitários: resultados e transferências. Foram organizadas pela EBP-MG duas noites preparatórias ao evento, onde se discutiram os novos sintomas e a apresentação de pacientes, abordando casos entre “a Psicanálise e o Direito” e a transferência. Foram organizadas também pela WEB noites preparatórias.

enapol003

3º ENCONTRO AMERICANO DO CAMPO FREUDIANO
(XV ENCONTRO INTERNACIONAL DO CAMPO FREUDIANO)

A VARIEDADE DA PRÁTICA – DO TIPO CLÍNICO AO CASO ÚNICO EM PSICANÁLISE

Pela primeira vez realizado no Brasil, o III Encontro Americano do Campo Freudiano e XV Encontro Internacional do Campo Freudiano (III ENAPOL) ocorreu no Hotel Gran Darell, em Belo Horizonte (Minas Gerais) nos dias 3, 4 e 5 de agosto de 2007, com a presença de 1423 participantes. A direção ficou ao cargo de Elisa Alvarenga (EBP), Ennia Favret (EOL) e María Hortensia Cárdenas (NEL). Sob o tema “A variedade da prática: do tipo clínico ao caso único em psicanálise”, o encontro debateu as diversas práticas da Psicanálise, o que é feito diante do impossível de tratar e como extrair o sujeito das classificações padronizadas para permitir-lhe encontrar, a partir da contingência, um sintoma como solução única que poderá, ao ser nomeado, ser transmitido como um grão de invenção. Foram construídas 54 Mesas Simultâneas, num total de 216 trabalhos, os quais seguiram quatro eixos propostos: 1. O inclassificável ou “isso não é um diagnóstico”; 2. Tratamento do tipo clínico como caso único; 3. Variedade dos sintomas, unicidade do tipo clínico; 4. Quando a psicanálise não segue o que lhe é historicamente típico: os novos Centros de Atendimento Psicanalítico. A novidade deste III Encontro foi a plenária sobre o Passe, dispositivo no qual se verifica a singularidade do caso clínico. Diversos livros foram publicados a partir do evento, dos quais se destaca: “A variedade da prática: do tipo clínico ao caso único em psicanálise. Terceiro Encontro Americano, XV Encontro Internacional do Campo Freudiano” (E. Alvarenga, E. Favret e M.H. Cárdenas [org]. R.J., Contra Capa Livraria, 2007). Dentre os principais conferencistas, pode-se citar: Judith Miller, Eric Laurent, Leonardo Gorostiza, Philippe Lacadée, Alicia Arenas, Jorge Forbes, Jorge Chamorro, Jésus Santiago, Bernardino Horne, Mauricio Tarrab, Mónica Torres, Juan Fernando Pérez, Juan Carlos Indart, Romildo do Rêgo Barros, Graciela Brodsky, Rosa Lagos, Ricardo Nepomiachi e Marcus André Vieira.

enapol004

4º ENCONTRO AMERICANO DO CAMPO FREUDIANO
(XVI ENCONTRO INTERNACIONAL DO CAMPO FREUDIANO)

A CLÍNICA ANALÍTICA HOJE – O SINTOMA E O LAÇO SOCIAL

O IV Encontro Americano do Campo Freudiano e XVI Encontro Internacional do Campo Freudiano (IV ENAPOL), realizado no Marriott Plaza Hotel em Buenos Aires, Argentina, nos dias 28 e 29 de novembro de 2009, sob a direção de Guillermo A. Belaga (EOL), Juan Fernando Pérez (NEL) e Marcus André Vieira (EBP), também contou com presença maciça de participantes. A partir do tema “A clínica analítica hoje: o sintoma e o laço social”, o encontro abordou a clínica atual a partir das formas contemporâneas de laço social e da concepção que a orientação lacaniana tem do sintoma enquanto acontecimento de corpo que singulariza o sujeito fazendo ser possível a adoção de uma posição ética definida. Os textos desenvolvidos seguiram quatro eixos temáticos: 1. Da multiplicidade do sintoma à singularidade do sinthome; 2. O inconsciente e o incurável do sintoma; 3. O discurso analítico e o laço social; 4. O desejo do analista nas instituições e frente às demandas sociais. A partir de 6 conferências e 69 mesas simultâneas, foram apresentados um total de 258 trabalhos ao longo do encontro. Dentre os trabalhos publicados após o encontro, destaca-se o livro “A clínica analítica hoje: o sintoma e o laço social” (E. Laurent [et.al.], Buenos Aires: Grama Ediciones, 2009). Pode-se destacar como principais conferencistas: Judith Miller, Eric Laurent, Leonardo Gorostiza, Romildo do Rego Barros, Graciela Brodsky, Graciela Musachi, Jorge Forbes, Enric Berenguer, Samuel Basz e Sérgio Laia.

enapol005

5º ENCONTRO AMERICANO DO CAMPO FREUDIANO
(XVII ENCONTRO INTERNACIONAL DO CAMPO FREUDIANO)

A SAÚDE PARA TODOS – NÃO SEM – A LOUCURA DE CADA UM

Nos dias 11 e 12 de junho de 2011 aconteceu o V Encontro Americano de Psicanálise de Orientação Lacaniana e XVII Encontro Internacional do Campo Freudiano (V ENAPOL). Realizado no Hotel Sofitel, em Copacabana, Rio de Janeiro (Brasil), o evento recebeu 1320 participantes. A diretoria executiva foi composta por Alicia Arenas (NEL), Marina Recalde (EOL) e Marcus André Vieira (EBP). Para o tema deste encontro, propôs-se “A saúde para todos – não sem – a loucura de cada um. (Perspectivas da Psicanálise)”, tema do qual fez inicialmente referência ao lema “saúde para todos”. Questiona-as ao psicanalista, que vive no um por um, este “slogan” que parece perigoso. O “não sem” do título afasta a simples oposição entre seus termos: a loucura não será definida, como de hábito, como o contrário da saúde mental ou da razão, mas acrescenta-se a elas como condição imprescindível. E que loucura? Estritamente a “de cada um”, nossa fração mais singular. O subtítulo vem sugerir que possamos mergulhar nas inúmeras situações da cidade onde lidam aqueles que se orientam pelo ensino de Jacques Lacan. Durante o evento foram apresentados 300 trabalhos em mesas simultâneas e 8 trabalhos em plenárias. Foi organizado um livro com o título “A Saúde para todos, não sem a loucura de cada um: perspectivas da Psicanálise” (Brisset FO; Glaze A; Delecave E (org.), R.J., Wak ed., 2011), além de três conferências ministradas por Éric Laurent em diferentes espaços da cidade, como no Teatro R. Magalhães Junior, da Academia Brasileira de Letras, no Hospital Philipe Pinel e no Colégio Brasileiro de Cirurgiões (também com a participação de Judith Miller). Uma exposição de artes plásticas foi realizada na Galeria Antonio Berni, em colaboração com a Embaixada da Argentina. Outra publicação que merece destaque é o livro “Todo Mundo Delira” (Laia S; Dias Batista MC (org.), B.H., Scriptum Livros, 2010). O encontro contou com a presença de outros importantes conferencistas, dentre os quais: Leonardo Gorostiza, Angelina Harari, Silvia Salman, Gustavo Stiglitz, Sergio de Campos, Alicia Arenas, Marcus André Vieira, Marina Recalde, Luiz Eduardo Soares, Octávio Domont de Serpa Junior, Jorge Forbes e Romildo do Rêgo Barros.

enapol006

6º ENCONTRO AMERICANO DO CAMPO FREUDIANO
(XVIII ENCONTRO INTERNACIONAL DO CAMPO FREUDIANO)

FALAR COM O CORPO. A CRISE DAS NORMAS E A AGITAÇÃO DO REAL

O VI Encontro Americano de Psicanálise da Orientação Lacaniana e XVIII Encontro Internacional do Campo Freudiano (VI ENAPOL) realizado no Hotel Panamericano em Buenos Aires, Argentina, nos dias 22 e 23 de novembro de 2013, sob a direção de Ricardo Seldes (EOL), Patricio Alvarez (EOL), Sérgio Laia (EBP) e Piedad Spurrier (NEL), contou com a presença de 1588 participantes. Sob o tema “Falar com o corpo: A crise das normas e a agitação do Real”, levantou-se a questão de como falam os corpos para além do sintoma histérico, o que supõe em seu horizonte o amor ao pai. Os trabalhos foram elaborados a partir de cinco eixos temáticos: 1. Mais longe do inconsciente, mais perto dos corpos; 2. As estruturas clínicas órfãs do nome-do-pai; 3. A diferença dos sexos no mundo da igualdade e da diversidade dos sexos; 4. A infância hoje, os autistas, os corpos e mais além; 5. Corpo e tecnociência no Século XXI. Ao final foram desenvolvidos 71 textos preparatórios (que podem ser encontrados no site do evento), além da apresentação durante o evento de 4 plenárias, 14 conversações e 118 mesas simultâneas, resultando num total de 396 trabalhos. Dos principais conferencistas destacam-se: Elisa Alvarenga, Eric Laurent, Alicia Arenas, Jorge Forbes, Juan Carlos Indart, Miquel Bassols e Leonardo Gorostiza. Foi lançado o volume preparatório digital: VI ENAPOL – FALAR COM O CORPO – A crise das normas e a agitação do real. Disponível em http://www.enapol.com/pt/Textos.pdf. Acesso em 26.03.2015.